O que empreendedores precisam saber sobre marketing de inclusão

marketing de inclusão

Antes de falarmos sobre por que os diretores de empresas devem se preocupar com Marketing de Inclusão, vamos primeiro definir o conceito. No post “Por que Marketing de inclusão deve estar em sua agenda para 2016?”, publicado em seu blog, Jessica Fish, especialista sobre o tema, afirma que:

“Marketing de inclusão é marketing para nichos específicos, sem focar em estereótipos. Os empreendedores que investem em acessibilidade sustentam um papel importante na criação de uma cultura representativa e plural, que se empenha para entender as diferenças entre os seus públicos, promovendo um ambiente de comunhão”.

O futuro do Marketing de Inclusão

O marketing focado para pessoas com deficiência está se tornando cada vez mais difícil de ignorar devido ao tamanho deste mercado consumidor. Segundo a Fecomércio, o mercado brasileiro de produtos e serviços para pessoas com deficiência movimenta mais de R$ 4,5 bilhões ao ano (dado de 2014). Já de acordo com o IBGE (2010), o Brasil tem 46 milhões de pessoas portadoras de deficiência, correspondendo a 24% da população. O segmento é composto de 42% de pessoas das classes A e B, 44% da classe C e 14% das classes D e E. Alem disso, o mercado mundial de produtos e serviços para pessoas com deficiência fatura anualmente cerca de USD 1.85 bilhão.

No passado, a publicidade representou timidamente as pessoas com deficiência. Recentemente, no entanto, de olho neste mercado, alguns anunciantes incluíram o tema em suas campanhas. Um bom exemplo é o comercial da BMW com os paratletas dos Estados Unidos, em apoio aos jogos da Rio 2016. O comercial de Natal da Apple, que contou com a participação de Stevie Wonder, é outro exemplo.

Construindo um ambiente digital acessível

Ter campanhas publicitárias com mensagem de inclusão não é o suficiente.
Uma peça publicitária não vai amenizar a frustração dos clientes com deficiência que tentam se conectar com a sua marca no ambiente digital, porém sem sucesso.

Os empreendedores devem se fazer as seguintes questões:

  • Como seria navegar no meu site sem um teclado ou um mouse?
  • As pessoas com deficiência encontram a informação que precisam com facilidade?
  • É possível que uma pessoa com uma deficiência realize uma transação ou faça uma compra online?

Marketing Digital Inclusivo & a experiência do cliente

Uma pesquisa recente mostrou que 86% dos compradores estão dispostos a pagar mais para ter uma melhor experiência, mas apenas 1% dos clientes sente que as marcas correspondem de forma consistente às suas expectativas.
Para entrar neste mercado, os empreendedores devem investir em pontos de contato com o cliente, especialmente no ambiente web e em dispositivos móveis.

Ter um site inclusivo vai além de aderir aos critérios das Recomendações de Acessibilidade para Conteúdo Web, a (WCAG) 2.0. É preciso também promover a acessibilidade.

O design inclusivo também pode ser mais fácil e atrativo, para que esses clientes se envolvam com o site como qualquer outro consumidor.
O marketing digital inclusivo permite que esse público agora possa fazer compras online, pesquisar por produtos e serviços, realizar transações financeiras e ter uma experiência como um consumidor de uma marca multicanal.

Os empreendedores que investem em seus clientes com deficiência irão colher os frutos: fidelidade à marca e possibilidade de expandir seus negócios em um grupo de grande representatividade.