Acessibilidade Web: padrões e diretrizes

Acessibilidade web

Acessibilidade Web é a prática de remoção de barreiras para que pessoas com deficiência possam perceber, compreender, navegar e interagir com a web. Quando sites são projetados e desenvolvidos visando a acessibilidade, todos os visitantes têm as mesmas possibilidades, o que promove o engajamento com o internauta.

Leis de Acessibilidade Web

Nos últimos anos, o cenário de compliance em acessibilidade vem se tornando cada vez mais regulado, o que faz com que muitas empresas considerem realizar uma grande reestruturação digital para atender tais requisitos.
As mudanças ocorrem porque o comportamento de compra do consumidor mudou. Em vez de fazer compras por telefone ou pessoalmente, ele tem cada vez mais comprado pela internet. De acordo com uma pesquisa da Hosting Facts, 40% dos usuários globais da internet, ou seja, mais de 1 bilhão de pessoas já compraram produtos ou mercadorias online.

No Brasil, o Estatuto da Pessoa com Deficiência traz regras e orientações para a promoção dos direitos e liberdade dos deficientes, com o objetivo de garantir a inclusão social e a cidadania. Oficialmente denominada “Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência”, a legislação garante uma série de condições de acesso à educação e à saúde, por exemplo, além de estabelecer punições para atitudes discriminatórias. A acessibilidade digital também está prevista na lei. Os websites que não forem inclusivos não estarão em conformidade com a legislação.

A eSSENTIAL Accessibility aproxima as empresas das pessoas com deficiência. Nosso app possibilita o acesso à internet. E nosso Serviço de Compliance em Acessibilidade Web adapta os sites aos padrões internacionais de acessibilidade.

Mas como incluir as pessoas com deficiência?

Sites que não são acessíveis são uma grande barreira para as pessoas com deficiência, criando uma experiência esmagadoramente frustrante.

De acordo com o World Wide Web Consortium, o W3C, há vários componentes que precisam ser trabalhados em conjunto, a fim de tornar a web acessível. São eles:

• Conteúdo: A informação em uma página da web ou em um aplicativo deve conter:
– Informação clara, com textos, imagens e sons.
– Código ou marca que defina a estrutura, a apresentação, etc.
• Navegadores: dispositivos e outros browsers.
• Tecnologia assistiva: leitores de tela, teclados adaptados, softwares de leitura por scanner, etc.
• Desenvolvedores: designers, programadores, autores, etc. Recomenda-se incluir desenvolvedores com deficiência e usuários que contribuem com o conteúdo.
• Ferramentas de criação: softwares que criam sites.
• Ferramentas de avaliação: verificador de Acessibilidade web e avaliação de ferramentas, HTML e validadores WCAG, validadores de CSS, etc.

Quando uma organização implementa todos esses fatores, fornece uma experiência digital verdadeiramente inclusiva.

Regulamentações da Acessibilidade Web

Os padrões da internet são regulamentados pelo World Wide Web Consortium (W3C). Em outubro de 1997, a organização lançou a Web Accessibility Initiative (WAI), que tem como missão promover a acessibilidade na internet para pessoas com deficiência.

Dentro da WAI, está a cartilha de Recomendações de Acessibilidade para Conteúdo Web (W3CAG). O documento oferece diversas instruções em âmbito internacional sobre como formatar e orientar a programação de páginas web acessíveis. Atualmente, a versão mais recente de suas diretrizes é a Web Content Accessibility Guidelines (WCAG) 2.0.

O serviço de compliance garante que as especificações técnicas e funcionais de todas essas diretrizes sejam usadas por desenvolvedores web, autores e programadores para construir sites acessíveis.

Tecnologia Assistiva

Tecnologia Assistiva é um componente essencial de um teste de acessibilidade da Web, como explicado pelo World Wide Web Consortium (W3C). A tecnologia Assistiva é importante para testar a funcionalidade de um site.
Mas os benefícios da Tecnologia Assistiva vão além de testes com usuários. Com o objetivo de promover uma experiência digital inclusiva, as organizações devem considerar a oferta de Tecnologia Assistiva gratuita em seu website.
Com a tecnologia, os clientes que possuem deficiência física, como paralisia cerebral, esclerose múltipla, paralisia, derrame, artrite e outros, podem navegar na web ou usar seus dispositivos móveis por meio da tecnologia Hands-Free.

Porque Investir em Acessibilidade Web?

As pessoas com deficiência são o maior grupo minoritário do mundo. Há mais de um bilhão de pessoas ao redor do planeta que têm algum tipo de deficiência, e 1 em cada 5 pessoas se auto identifica como deficiente.
No entanto, muitas organizações veem a acessibilidade como uma tarefa ao invés de uma oportunidade, deixando assim muitos empreendedores digitais sem informações sobre os benefícios de construir uma comunidade digital e inclusiva. Ao investir em acessibilidade, seguindo todas as normas e diretrizes corretas, o empreendedor terá como mensurar o retorno financeiro.

Com a acessibilidade, as organizações têm a oportunidade de melhorar a experiência digital para o maior grupo minoritário em todo o mundo. A pesquisa de Andy Beal, da Marketing Pilgrim, mostra que 86% dos compradores vão pagar mais para se sentirem mais adaptados ao ambiente virtual.
Ao enaltecer essa experiência com o cliente e tornar o website de fácil navegação para pessoas com deficiência, as empresas podem começar a construir uma presença de marca mais estruturada para este público, gerando fidelização à marca.

E não podemos esquecer de mencionar que, ao oferecer uma solução de acessibilidade web inclusiva para os clientes com deficiência, por meio da integração de um conjunto de tecnologias, o empreendedor só tem a ganhar.